domingo, 17 de abril de 2016

E-book gratuito: Direito das Comunicações, de Ericson M. Scorsim

Numa semana onde um estudo do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Acesso à Informação da USP e publicado pela BBC Brasil, mostrou que 3 das 5 notícias mais compartilhadas no Facebook são falsas, chega a ser um alento quando nos depararmos com conteúdos que contribuam com nosso desenvolvimento profissional nessas redes sociais. Ainda mais, para uma correta prática do jornalismo.

O advogado Ericson M. Scorsim, da Meister Scorsim, lançou o e-book "Direito das Comunicações – Regime Jurídico dos serviços de internet, telecomunicações, TV por radiodifusão e TV por assinatura". Segundo o Convergecom, o livro tem como foco a legislação aplicável aos serviços de internet, telecomunicações, televisão por radiodifusão, TV por assinatura e publicidade. Sendo um excelente aliado na consulta das leis que regem o serviço.

Clique aqui para ter acesso ao e-book.


segunda-feira, 7 de março de 2016

Grupo RBS anuncia venda das operações de mídia em Santa Catarina

As especulações do final de 2015, tornaram-se realidade. O Grupo RBS vendeu suas ações de operação em rádio, televisão, impressos e internet em Santa Catarina. O jornalista Paulo Alceu, colunista do jornal Notícias do Dia e apresentador da Ric Record catarinense, já havia anunciado a transação há algumas semanas, mas somente hoje os seus acionistas se posicionaram publicamente sobre a venda.

De acordo com o jornalista Felipe Vieira, um e-mail tratando do assunto foi enviado aos funcionários de Santa Catarina com informações sobre o anuncio que foi oficializado nesta segunda-feira, pelo Presidente-Executivo, Duda Melzer.

Ainda de acordo com Vieira, o mercado estima que o valor do negócio chegue a R$ 700 milhões e os novos donos serão os empresários Carlos Sanchez e Lirio Parisotto. Comenta-se em Florianópolis, ainda, a possibilidade de que José Bonifácio de Oliveira Sobrinho venha a participar da sociedade. Boni determinou a integrantes do jornalismo da TV Vanguarda, em setembro do ano passado que acompanhassem a programação da RBS TV/SC.

Segundo nota oficial do Grupo RBS, a conclusão do negócio está sujeita à condição suspensiva de aprovação prévia do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e dos demais órgãos regulatórios do setor, bem como ao cumprimento de determinadas condições precedentes usuais para estes tipos de transações e o processo de transição será gerido a partir de comitês com o objetivo de garantir a continuidade e a excelência das operações. A sinergia entre as empresas em Santa Catarina será mantida a partir de parcerias operacionais e comerciais.

Com a oficialização da venda, o Grupo RBS focará seus investimentos de mídia no Rio Grande do Sul, onde o grupo empresarial, fundado em 1957, coordena marcas jornalísticas como Zero Hora, Diário Gaúcho, O Pioneiro, Diário de Santa Maria, Rádio Gaúcha, Rádio Atlântida, Rádio Farroupilha e RBS TV. Além dos negócios de comunicação, o grupo é proprietário da e.Bricks, empresa de investimento digital com atuação no Brasil e nos Estados Unidos.

O professor e pesquisador de comunicação na UFSC Rogério Christofoletti escreveu um artigo denominado "Ponto de Vista: Quem ganha com a venda da RBS de SC?", que é um bom parâmetro para analisarmos o negócio.

sábado, 5 de março de 2016

Sábado e Domingo em uma edição: novo formato da Zero Hora impressa

Rosane de Oliveira entrega a superedição para um assinante
Reprodução Instagram/Zero Hora - @zerohorarbs
O jornal Zero Hora, pertencente ao Grupo RBS, a partir de hoje, começa a entregar aos seus assinantes e bancas apenas uma edição de final de semana. A superedição de ZH, como foi denominada, faz parte de uma transformação editorial que visa contenção de despesas com aposta no webjornalismo.

Para o início da distribuição, Zero Hora fez algumas ações, como a entrega destas edição especial para assinantes feita por seus jornalistas Marta Sfredo, Tulio Milman e Rosane de Oliveira, junto com uma explicação destes acerca do novo formato do jornal.

Com o lançamento do ZH Tablet e do ZH Noite, edição especial para as plataformas digitais, que sai sempre às 19hs, era notória a pretensão da empresa em mudar seus rumos. A edição de domingo já era vista como um complemento da de sábado, tendo em vista que circulava com a data dominical, mas nas tardes de sábado, sempre com notícias da sexta-feira.

A edição dominical de Zero Hora será exclusivamente online, assim como o ZH Noite. Os assinantes poderão acessar um conteúdo atualizado e multimídia a partir das 11 horas da manhã de cada domingo.

O professor e pesquisador Luiz Artur Ferraretto comentou em seu facebook a nova edição de Zero Hora "Trata-se de um novo capítulo da gradativa - e, deve-se destacar, bem planejada - migração do jornal editado pelo Grupo RBS para o on-line. Há uma redistribuição de conteúdo. O que circulava em duas edições cabe em uma e são reduzidos os custos de impressão e distribuição."

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Caderno Especial: 2100 - A vida no futuro

Reprodução: lavanguardia.com
Essa publicação foi originalmente feita no blog do Prof. Ramón Salaverría, pesquisador em jornalismo nos meios digitais. Achei interessante e compartilho aqui, também:
________

Para comemorar o seu 135º aniversário, o diário La Vanguardia, de Barcelona, publicou um caderno especial denominado "2100. A vida no futuro".

Em suas 220 páginas, este suplemento pergunta como será a nossa vida no final deste século e aplica-se a todos os tipos de áreas e disciplinas: ciência, medicina, comida, família, educação e, claro, comunicação.

Acesse aqui a versão digital e gratuita deste caderno especial. Para ter acesso ao download, é necessário um cadastro.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

O lugar do esporte na rádio: estudo de caso no Brasil e em Portugal

Artigo produzido por mim, em parceria com meu orientador de mestrado, Prof. João Canavilhas, sobre rádio e esporte, publicado na última edição da revista Rádio-Leituras.

Resumo:
A rádio e o esporte, especialmente o futebol, têm uma longa história de sucesso em comum. Apesar do aparecimento da televisão, esta ligação manteve-se forte ao longo das últimas décadas, tendo até sido reforçada graças às novas potencialidades que a Internet ofereceu à rádio.

Mas em que medida estas alterações tiveram algum impacto na relação entre a rádio e o esporte? Este estudo visa clarificar qual espaço ocupado pelos conteúdos esportivos na programação e nos sites das rádios do Brasil e de Portugal, procurando ainda verificar a importância do futebol na oferta de notícias esportivas. Para isso, foram analisadas duas rádios brasileiras (Gaúcha e CBN) e duas portuguesas (TSF e Renascença).

Confira aqui o texto completo.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Webjornalismo: sugestão de bibliografia

Neste post, apresento algumas das referências básicas que utilizei durante a minha graduação, para formatação do Trabalho de Conclusão de Curso, na Universidade Federal do Pampa, sob orientação do Prof. Marco Bonito e tenho usado na produção de artigos e escrita da dissertação, durante o mestrado, na Universidade da Beira Interior, sob orientação do Prof. João Canavilhas.


--
BARBOSA, Suzana; MIELNICZUK, Luciana (ORGs). Jornalismo e Tecnologias Móveis. Covilhã, PT: Livros LabCOM, 2013. DIsponível em: <http://www.livroslabcom.ubi.pt/pdfs/20130522-201302_susana_luciana_jornalismotechmoveis.pdf>
--
CANAVILHAS, João. (Org). Notícias e Mobilidade. O Jornalismo na Era dos Dispositivos Móveis. Covilhã, PT: Livros LabCOM, 2013. Disponível em: <http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/94>
--
CANAVILHAS, João. (Org). Webjornalismo: 7 caraterísticas que marcam a diferença. Covilhã, PT: Livros LabCOM, 2013. p. 33-54. Disponível em: <http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/121>
--
CANAVILHAS, João & SATUF, Ivan. (Org). Jornalismo para Dispositivos Móveis. Covilhã, PT: Livros LabCOM, 2015. Disponível em: <http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/137>
--
FIDALGO António. e SERRA, Paulo (org.). Informação e Comunicação Online: Jornalismo Online. Covilhã, PT: Livros LabCOM, 2003. Disponível em: <http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/79>
--
JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008
--
MACHADO, Elias. O ciberespaço como fonte para os jornalistas. Salvador: Calandra, 2003.
--
MACHADO, Elias & PALÁCIOS, Marcos. (org). Modelos de Jornalismo Digital.  Salvador: Edições GJOL: 2003.
--
PRIMO, Alex. Interação mediada por computador. Porto Alegre: Edit. Sulina. 2007
--
SALAVERRÍA, Ramón. Redacción periodística en internet. Pamplona: EUNSA, 2005

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Bolsa disponível para programa de jornalismo na Alemanha

Essa dica eu peguei no site da Rede Internacional de Jornalistas (IJNet) e reproduzo aqui. Se você se encaixa nas regras, é uma excelente oportunidade:

Jornalistas latino-americanos entre 25 e 35 anos, que falam alemão ou têm um bom nível de inglês, podem se concorrer a uma bolsa de intercâmbio do Internationale Journalisten-Programme (IJP.

O programa mantém um programa de intercâmbio anual entre a Alemanha e a América Latina, em que os fundos são alocados a jornalistas latino-americanos para trabalharem como editores visitantes em um veículo de mídia em Berlim.

Durante o estágio de dois meses em uma mídia alemã, os repórteres vão se familiarizar com a situação política e econômica na Alemanha e aprender sobre a cultura e a mentalidade de seu povo.

Os interessados ​​na bolsa devem apresentar seu pedido ao departamento de imprensa da Embaixada da Alemanha em seu país, onde também poderão informações detalhadas sobre o processo de candidatura.

O coordenador internacional do programa, Peer Vorderwülbecke, pode fornecer mais informações através do e-mail: vorderwuelbecke@ijp.org.

As inscrições gerais vão até 23 de setembro. Mas cada embaixada pode ter um prazo final diferente.

Para mais informações, clique aqui.



quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Miríada X: cursos online e gratuitos

A Miríada X, é uma empresa empenhada em promover, através da rede, o conhecimento aberto no Ensino Superior Ibero-Americano. Seus cursos estão disponíveis para qualquer pessoa interessada em Cursos Abertos Online,  através de um processo sem horários pré-definidos e sem custos.

Os cursos são ministrados por profissionais das Universidades parceiras do projeto, em espanhol, em sua grande parte, mas também em português, tendo em vista que a PUC-RS é uma das parceiras do Miríada X.

Aos comunicólogos ou aspirantes, que acessam o blog, informo que, nos próximos meses, começam alguns cursos interessantes para a área, como o Apresentações Eficazes, com início em 5 de outubro, o curso de Redação para Internet, que será ministrado por Ramón Salaverría, e o curso denominado A nuvem e suas aplicações profissionais e educativas, que vai falar sobre o "Cloud Computing" e aplicativos para dinamizar ações com arquivos hospedados na web.

Todos os cursos emitem certificados depois do aluno realizar as tarefas propostas e atingir as notas mínimas.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Google agora é Alphabet

A Google, como ficou conhecida até hoje, deixou de existir. No seu lugar surge a Alphabet. A empresa, fundada de modo privado em 4 de setembro de 1998 e que teve sua oferta pública inicial foi realizada em 19 de agosto de 2004, decidiu que era a hora de se reposicionar.

Nesta segunda-feira, 10 de agosto de 2015, após o encerramento dos mercados, os fundadores anunciaram as mudanças. A Alphabet foi criada para reestruturar o Google movendo as subsidiárias do Google para a Alphabet, diminuindo a área de atuação do Google.

 A companhia é formada pelo Google Inc., Nets Labs, além de também incluir outras empresas como o Google X, Google Capital e o Google Ventures.

A Alphabet é, agora, a empresa-mãe do Google, que, mesmo assim, não desaparece. Deixa de ser o gigante, reduz o tamanho e o foco. 

"A Alphabet é, sobretudo, uma coleção de empresas. A maior das quais é a Google. Esta nova Google emagreceu um pouco. As empresas mais afastadas dos nossos produtos principais da internet ficam na Alphabet", explica Larry Page, co-fundador da Google na página da Alphabet.



quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Clickbait: o chama-clique da internet

As redes sociais potencializaram a divulgação dos conteúdos dos portais em geral. Sejam eles de notícias, entretenimento, blogs pessoais, saúde ou beleza. O Facebook e Twitter são grandes propulsores destes conteúdos. E muitos destes veículos estão usando de uma técnica chamada clickbait para atrair leitores ou apenas cliques para suas páginas.

Em uma tradução literal, é uma Isca de clique. Pois é um termo usado para descrever um tipo de hiperligação que seduz o visitante a clicar para começar ou continuar a ler um artigo. É uma forma de aumentar o número de pageviews dessas páginas. A maioria das ligações do tipo clique isca usa de "manchetes clickbait", que, tipicamente, visam explorar o "gap curiosidade", fornecendo informações suficientes para despertar a curiosidade do leitor, mas não o suficiente para satisfazer a sua curiosidade sem clicar até o conteúdo vinculado

Essa ação tem sido promovida por grandes veículos esportivos do Brasil, como nos dois exemplos abaixo, que se referem ao mesmo caso. A contratação do centroavante Nenê, pelo Vasco da Gama:


Reprodução: Facebook Globo Esporte
Reprodução: Facebook Esporte Interativo
Em ambas as situações, as ligações não mostram qual equipe contratou o jogador. O globoesporte.com fala o nome do atleta, já o Esporte Interativo deixa até isso em suspense. Uma das principais funções do clickbait é a geração de receitas por cliques. Muitas empresas fazem anúncios nessas páginas pela grande quantidade de acessos que as mesmas tem, então elas usam deste artificio para atrair visitantes.

No final de 2014, a onipresença do clickbait na web tinha começado a levar a uma reação contrária a sua utilização. Dessa forma, o jornal satírico The Onion lançou um novo site, o ClickHole, que parodiava sites clickbait como Upworthy e Buzzfeed.