sexta-feira, 21 de março de 2014

Maria do Rosário recebe título de cidadã são-borjense

.
A Ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, recebeu nesta noite o título de cidadã são-borjense. A honraria foi oferecida pelo presidente da Câmara dos Vereadores de São Borja, Jeovane Contreira e aprovada por todos os legisladores de situação.

Maria do Rosário cumpriu extensa agenda na região nesta quinta-feira. Pela manhã a Ministra palestrou na UNIPAMPA de Uruguaiana. No período da tarde foi a Itaqui, onde entregou equipamentos para o Conselho Tutelar e destinou uma emenda no valor de 480 mil reais para a construção de um complexo esportivo. A noite, na Câmara de Vereadores de São Borja recebeu o título de cidadã são-borjense e ministrou aula magna ao acadêmicos da Unipampa da cidade sobre Direitos Humanos.

"Essa é uma terra de grande valor, qual o Brasil deve muito", disse a Ministra em seu discurso. Ao agradecer o título, a Ministra compartilhou a honraria com a Polícia Federal e com a Comissão Nacional da Verdade, que foram entidades que atuaram de forma intensa e ativa na exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart. 

Já na aula magna, que veio na sequencia do discurso de agradecimento, Maria do Rosário citou as diversas atividades realizadas pelo ministério e algumas conquistas expressivas para a população, como o aumento do tamanho das casas do projeto "Minha Casa, Minha Vida" e que agora seguem o que ela chamou de desenho universal, definido pela ministra como um local que pode ser acessado por qualquer pessoa, com deficiência ou não. 

Outros casos lembrados pela ministra foram os do pedreiro Amarildo, da auxiliar de serviços gerais Claudia Ferreira, dos atletas Arouca e Tinga e do árbitro Márcio Chagas da Silva. Com isso ela falou que o Brasil precisa, com urgência, coibir qualquer tipo de discriminação seja ele racial, social ou sexual. 

Outro projeto que a ministra contou em sua aula magna foi o de proteção de pessoas. Hoje são aproximadamente 2 mil pessoas que vivem sob proteção da Polícia Federal e que são tirados de suas cidades e colocados em outros estados, sob proteção policial, para que possam se manifestar contra pessoas que abusam de seus poderes. O exemplo citado por Maria do Rosário foi o da cidade de Coari, no interior do Amazonas, onde um escândalo de prostituição infantil envolveu o ex-prefeito do município. 

No encerramento da sua fala a ministra deixou claro que os Direitos Humanos não defendem bandidos, defendem vidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário