quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

São Borja recebe o programa Debates do Rio Grande pela segunda vez

A cidade de São Borja recebeu na noite desta terça-feira, 03 de dezembro, o programa Debates do Rio GrandeCom o objetivo de debater as potencialidades da região, o jornalista Leandro Staudt mediou o encontro, que foi realizado no Auditório da Associação Espírita José Ferreira de Moraes.

Os painelistas da noite foram  o empresário Ibrahim Mahmud, presidente do Sindicato dos Lojistas de São Borja; José Francisco Rangel, presidente da Agência de Desenvolvimento de São Borja; Pedro Roberto da Silva Quoos, vice-presidente da ACISB; e Vanderly Bolzan de Almeida, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Borja. Além dos representantes locais, a economista Manoela Lopes, da Agência 2020 expôs números socioeconômicos relativos a cidade. 

De acordo com os dados da especialista, São Borja tem 63.194 habitantes, o que representa 0,5% da população do Rio Grande do Sul. De acordo com Manoela, 22,15% dos habitantes tem menos de 15 anos, 68,25% tem entre 15 e 64 anos e 9,6% possuem mais de 65 anos. "São Borja, hoje, tem dinheiro para pagar as contas, mas não tem dinheiro para investir. Falta geração de renda no município", declarou a economista.

Essa geração de renda surge da criação de novos empregos. Atualmente a população economicamente ativa de São Borja é de 32 mil habitantes, só que existem apenas 9,6 mil empregos formais na cidade, sendo que 75% da população recebe no máximo dois salários mínimos, o que, de acordo com a economista, "não faz a economia girar".


Gráfico apresentou grau de instrução dos são-borjenses.
A área da saúde é que está melhor. Apesar da Organização Mundial da Saúde indicar 3 leitos para cada mil habitantes, São Borja está bem servida atualmente com os 107 leitos disponíveis, sendo que em breve serão concluídas as obras de ampliação do Hospital Ivan Goulart e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O Saneamento Básico é uma das áreas mais precárias do município. A meta da Organização das Nações Unidas (ONU), é de, no mínimo, 75% da cidade coberta por Saneamento Básico. Atualmente São Borja tem 19% e a média das cidades do Rio Grande do Sul é de 15%.

O assunto de Segurança Pública apresentou dados positivos e negativos. Se por um lado o trabalho da Secretaria e das polícias fez com que o número de homicídios caísse, a região de fronteira fez com que o tráfego de drogas aumentasse 1400% na última década. 

Ao final, os ouvintes puderam interpelar os painelistas, sugerir ideias e também discutir os dados apresentados. O Debates do Rio Grande é uma realização da Rádio Gaúcha e foi transmitido ao vivo pela Rádio Cultura de São Borja. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário